A comunicação pré-verbal

As bases para a aquisição da linguagem constituem-se muito antes da criança emitir ou perceber qualquer palavra, o que se chama período pré-verbal. Este período é caracterizado pelo lançamento das bases da comunicação entre o bebé e os que o rodeiam, pelo início da vocalização e pelo desenvolvimento das capacidades de discriminação que tornam possível a diferenciação dos sons da fala humana. O período pré-verbal começa ainda durante a gestação e acaba quando a criança é capaz de atribuir significado à produção sonora, por volta dos nove, treze meses de idade.

Efectivamente, durante a gestação já existe contacto entre a mãe, o bebé e as pessoas mais próximas a estes. O bebé reage a estímulos exteriores como a voz da mãe, uma caricía no barriga da mãe ou barulhos altos através de movimentos motores, como o pontapear.

      

Quando o bebé, ainda recém-nascido, estabelece com a sua mãe uma relação baseada nas atitudes, nos sorrisos, expressões faciais nos gestos e nos olhares, está a desenvolver um tipo de comunicação que, apesar de não utilizar uma expressão linguística, é fundamental para a sua aquisição. Por outro lado, também é importante ter em atenção a importância das funções reflexovegetativas como a sucção, a mastigação, a deglutição e a respiração, que facilitam a aprendizagem e o desenvolvimento da linguagem oral.

A seguir ao nascimento, a pele e o tacto são uma das primeiras tentativas de comunicação entre mãe e filho, bem como o choro, que no princípio é indiferenciável, instintivo e involuntário (vagido) mas depressa se torna modelado (a partir da terceira ou quarta semana), de acordo com as necessidades que o bebé pretende comunicar. Este chora por fome, cansaço, dor, mau-estar, carência afectiva ou social, e a sua mãe sabe reconhecer e distinguir cada um deles, satisfazendo-lhe prontamente as suas necessidades. Ao passo que o bebé é capaz de distinguir a voz da sua mãe mesmo ao longe ou entre outras vozes. Através desta cúmplice comunicação, o bebé vai aprendendo que com os diferentes sons que produz recebe diferentes tipos de respostas, daí o seu choro se tornar modelado, pois reflecte uma intencionalidade comunicativa.

                 

 Também a forma como a mãe fala influência o desenvolvimento linguístico do bebé. Muitas vezes as mães falam de uma forma muito simples, carinhosa, de fácil compreensão para o bebé e pronunciada de uma forma exagerada e com diversas modelações de modo a captar a sua atenção. A este tipo de comunicação chama-se maternalês ou "baby-talk" ( http://www.youtube.com/watch?v=lIu5aFkbFA8 ).

A interacção entre o bebé e os outros, principalmente com a mãe, durante o período pré-verbal constítui os alicerces para a linguagem verbal, pois é nesta altura que o bebé irá aprender as regras e rituais da comunicação linguística.

 Etapas do desenvolvimento pré-verbal

 1ª etapa

o aos 2 meses

  • Os bebés conseguem diferenciar sons e vozes;
  •  Produz sons vegetativos, como tosse, espirros e soluços;
  •  Sorri;
  • Nas primeiras três ou quatro semanas de vida chora de maneira indiferênciada, a partir daí o seu choro passa a ser modelado de acordo com aquilo que quer transmitir;

2ª etapa

2 meses

  • Devido ao crescente controlo dos músculos faciais o bebé consegue sorrir voluntariamente.
  • Surge o palreio, um passo extremamente importante para o desenvolvimento da linguagem, sendo que este é caracterizado pelo bebé produzir sons parecidos ao arrulho dos pombos ( http://www.youtube.com/watch?v=mehuiX3Bgto ).

3 - 4 meses

  • O bebé adquire uma regra básica para o diálogo, a que se chama "pegar a vez", ou seja, o tem noção de que para haver diálogo é necessário haver no minímo duas pessoas, que falam uma de cada vez alternadamente ( http://www.youtube.com/watch?v=dIb_oGfOss4 ).
  • Surge a lalação ( http://www.youtube.com/watch?v=SOFh4GI6ncM ), que consiste na reduplicação silábica. Esta fase é caracterizada pela combinação consoante/vogal, repetida em cadeia de forma melódica, ritmíca e com entoações diversas (ex: mamama; papapa). Esta tornar-se-á mais rica à medida que o bebé for aprendendo a dominar melhor o aparelho de fonaçaõ. Nesta altura o bebé consegue produzir frases e diálogos em lalação. Esta divide-se em duas fases, o arrulho ou chilreio que dura dos três aos seis meses e o balbúcio ou pré-tagarelice que vai dos seis aos oito meses.
  • Aos quatro meses surge a gargalhada. 

3ª etapa

3/4 - 8 meses

  • O bebé imita os sons que ouve.
  • "Fala" com os brinquedos.
  • O bebé produz sílabas reduplicadas - lalação.
  • Nesta altura surge também a ecolalia, em que o bebé fala sozinho, explorando a sua voz e os sons que produz, mostrando grande satisfação com isso.

4ª etapa

Até ao aparecimento das primeiras palavras

  • O bebé imita, entre outras, inflexões de voz, expressões faciais e ritmos. 
  • Reconhece o seu nome e reage quando o ouve.
  • Consegue entender e cumprir regras simples.
  • Produz as primeiras palavras.
  •  Desenvolve-se a linguagem gestual, de modo a auxiliar ou substituir a linguagem verbal.

As etapas e fases do desenvolvimento linguístico podem não ser iguais para todas as crianças, pois elas próprias não são iguais o que não constítui  problema algum, visto estas fases dependerem do grau de maturação das crianças, do meio onde estão inseridas, dos estímulos que recebem e das suas próprias características pessoais.

 

 


Anexos

A gramática que os bebés já sabem

Ficha de Leitura IV.doc (105 kB)

—————

Síntese de conteúdos

Sintese de conteúdos.ppt (533,5 kB)

—————

A comunicação pré-verbal

4 - A Comunicação Pré-Verbal.pdf (278,6 kB)

—————